Notícias na Hora

Loading...

quarta-feira, 12 de maio de 2010

A 13 de Maio de 1934, é inauguirado o monumento ao Marquês de Pombal




A 13 de Maio assinalam-se os 76 anos da inauguração do Monumento ao Marquês de Pombal, um processo inicialmente pensado em 1882, quando se assinalou o centenário da sua morte. Sete anos depois, em 1889, foi decidido erigir um monumento de homenagem a Sebastião José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal. No entanto, só em 1913 foi nomeada uma comissão encarregue de obter donativos para esse efeito. Tendo sido escolhido o local – a rotunda da Av. da Liberdade –, foi aberto concurso para apresentação de projectos. Em 1914 foi aprovado o projecto da autoria dos arquitectos Adães Bermudes e António Couto e do escultor Francisco Santos. A primeira pedra foi lançada a 15 de Agosto de 1917 mas devido a vários factores não se continuou a sua edificação. A 13 de Maio de 1926 reiniciou-se a sua construção. Após a conclusão do fuste, a estátua do marquês de Pombal foi aí colocada a 2 de Dezembro de 1933.
Finalmente, a 13 de Maio de 1934, teve lugar a cerimónia inaugural, que, segundo a imprensa da época, foi marcada para as 14h, contando com grande participação da população lisboeta, que começou a afluir a este local com várias horas de antecedência.
Foram chegando, entretanto, as personalidades convidadas, entre elas, Sousa Monteiro, presidente do Supremo Tribunal; Francisco Góis, procurador-geral da República; tenente-coronel Linhares de Lima, presidente da Câmara Municipal de Lisboa; major Salvação Barreto, vereador; Manuel Daun e Lorena, representante do Chefe de Estado, etc.
Com a chegada do ministro das Obras Públicas, o engenheiro Duarte Pacheco, às 14h, tiveram início as cerimónias de inauguração e os discursos do general Viera da Rocha, da comissão executiva, e do tenente-coronel Linhares de Lima.
Após os discursos deslocaram-se para o lado nascente do monumento onde, no pedestal, se encontrava a inscrição que assinalava a cerimónia inaugural. Esta encontrava-se coberta com a bandeira nacional. Tendo sido o seu descerramento realizado pelo ministro das Obras Públicas que assim concluiu o acto de inauguração deste grandioso monumento, passando ao domínio do grande público que o pode visitar e depor ramos de flores.
Durante as comemorações actuaram nos dois coretos instalados na praça, várias bandas musicais (14h às 17h e das 21h às 24h). Neste dia de festa o monumento ao marquês de Pombal, que possui iluminação própria, marcou a noite lisboeta para gládio da população.
Bibliografia:Estatuária e Escultura de Lisboa: Roteiro. 1ª edição. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa – Património Cultural, 2005. 259 [2]. ISBN 972-8543-03-4. p.108.
ARAUJO, Noberto de -  
Peregrinações em Lisboa. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa, 1992-1993. p. 43
O monumento ao Marquês de Pombal. 
O Século. Lisboa. Ano 54º, nº 18.736 (13 de Maio 1934) p.1 e 4.
Foi ontem entregue ao Município de Lisboa a estátua do Marquês de Pombal. 
Diário da Manhã. Lisboa. Nº 1105 (14 de Maio 1934) p.1 e 3.

Sem comentários:

Enviar um comentário