Notícias na Hora

Loading...

terça-feira, 12 de Outubro de 2010

A 13 de Outubro de 1307, os Templários foram perseguidos em França

Na madrugada de 13 de Outubro de 1307 milhares de templários, incluindo o Grão-Mestre Jacques de Molay, foram presos por toda a França, por ordem de Filipe IV, o Belo, executada pelo "diligente" Guillaume de Nogaret, chanceler do reino.
Quase não houve resistência. Quinze mil cavaleiros treinados e corajosos... Castelos fortificados... Comendas inteiras... A extinção dos templários permanece um dos maiores segredos dos templários!
Filipe IV agiu por despeito. A Ordem não o tinha aceite como membro honorário e, um ano depois, recusara igualmente o ingresso do seu segundo filho. Agiu também por ganância. Endividado em mais de 500 mil libras junto da Ordem (que na época funcionava como banqueira da cristandade), Filipe não só se libertava da dívida, como confiava apoderar-se do mítico "tesouro templário".
A Ordem ganhara um poder enorme em dois séculos de existência. Era uma espécie de república aristocrática, incómoda para as monarquias, em especial em França, onde estava mais fortemente implantada. O rei pretendia a reforma da Ordem, passando o cargo de Grão-Mestre a ser um título hereditário da sua família. Mais, o rei receava que os templários viessem a construir um império em toda a Europa, substituindo-se ao Império Romano, que continuava (e continua) a ser o paradigma saudoso da "união europeia".
Os templários dependiam directamente do Papa. Mas isso não foi problema. Filipe conseguiu colocar na Santa Sé o ex-arcebispo de Bordéus, Bertrand de Got, que assumiu o nome de Clemente V e se instalou em Avinhão. Ambicioso e fraco, Bertrand aceitara seis cáusulas prévias, impostas por Filipe IV, para ter o seu apoio. A sexta cláusula estava em branco. Viria a ser preenchida depois de eleito Papa... Era a extinção dos templários!
Por bula de 1312 a Ordem foi formalmente extinta. O património passou para os Hospitalários (hoje Ordem de Malta). Foi a pequena vingança de Clemente V. Filipe nunca encontrou o "tesouro templário" e ficou sem o património fundiário. Dois anos depois, o rei morreu de uma misteriosa doença gástrica, Nogaret foi apunhalado e Clemente V morreu de cancro.
Os templários mantiveram-se noutros países, acolhidos por outras ordens ou integrando novas ordens expressamente criadas para os receber, como foi o caso da Ordem de Cristo, em Portugal.

1 comentário: