terça-feira, 1 de dezembro de 2015

A 01 de Dezembro de 1934 - Nasceu Pedro Mário Alles Tamen




"Verdes Anos", de Pedro Tamen

Era o amor
que chegava e partia:
estarmos os dois
era um calor
que arrefecia
sem antes nem depois…
Era um segredo
sem ninguém para ouvir:
eram enganos
e era um medo,
a morte a rir
nos nossos verdes anos...

Teus olhos não eram paz,
não eram consolação.
O amor que o tempo traz
o tempo o leva na mão.

Foi o tempo que secou
a flor que ainda não era.
Como o Outono chegou
no lugar da Primavera!

No nosso sangue corria
um vento de sermos sós.
Nascia a noite e era dia,
e o dia acabava em nós…

O que em nós mal começava
não teve nome de vida:
era um beijo que se dava
numa boca já perdida.






Pedro Mário Alles Tamen nasceu em Lisboa a 1 de dezembro de 1934, é um poeta e tradutor literário português.
Pedro Tamen estudou Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde se licenciou.
Entre 1958 e 1975 foi director da (extinta) editora Moraes e administrou a Fundação Calouste Gulbenkian de 1975 a 2000.
Paralelamente presidiu ao P.E.N. Clube Português (1987 - 1990) e foi membro da direcção e presidente da assembleia geral da Associação Portuguesa de Escritores.
Tamen estreou-se com a obra poética “Poema para Todos os Dias” em 1956, seguidos por vários edições de poemas e livros.
Com “Retábulo das Matérias” (2001) o autor publicou uma colecção dos seus poemas de 1956 - 2001.
É tradutor de várias obras literários de - entre outros - Gabriel Garcia Marquez, Marcel Proust e Gustave Flaubert e foi condecorado com vários prémios literários.

OBRAS:

Poema para Todos os Dias (1956, poemas)
O Sangue, a Água e o Vinho (1958, poemas)
Escrito de Memória (1973, poemas)
Os Quarenta e Dois Sonetos (1973, poemas)
Horácio e Coriáceo (1981, livro)
Principio de Sol (1982, poemas)
Guião de Caronte (1997, livro)
Retábulo das Matérias (coleção de poemas 1956-2001, 2001)
Analogia e Dedos (2006, poemas, Prémio Literário Inês de Castro e Prémio de Poesia Luís Miguel Nava)
Um Teatro às Escuras, 2011