terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A 19 de Janeiro de 1889 - Nasceu Sophie Taeuber-Arp



A artista nasceu em Davos-Platz, (Suiça) e faleceu, naturalizada francesa, em Zurique. Sophie Taeuber estudou na Escola de Artes e Ofícios (Saint-Gall, Suíça, 1907); nos Ateliês de Aprendizagem e Ensaio para as Artes Livres e Aplicadas (Munique, Alemanha, 1910); na Escola de Artes Aplicadas (Hamburgo, Alemanha, 1912); e estudou dança moderna na Escola Rudolf von Laban (Zurique, Suíça, 1914-1916).
Em Zurique, Sophie conheceu Hans (Jean) Arp, com quem casou-se posteriormente, na França (1922). Em Zurique a artista tornou-se professora da Escola de Artes Aplicadas, ensinando na Seção Têxtil (1916). A artista participou do Dadaísmo, dançando em váriasperformances, envergando máscaras, de estilo Negro e primitivo, criações de Marcel Janco. A fotografia de Sophie usando máscara e costume de Janco, no acervo da Fundação Arp (Clamart, França), se encontra reproduzida (GIBSON, 1991). Sophie dançou com várias outras colegas que participaram do movimento dadaísta em Zurique, como suas amigas Mary Wigman, Suzanne Perrotet e Maja Kruschev, sendo a última citada namorada de Tristan Tzara. As músicas escolhidas para os espetáculos foram de compositores contemporâneos como as dos franceses Darius Milhaud (Grupo dos Seis) e Erik Satie (Escola de Arcueil); dos russos Igor Stravinsky e Alexander Borodin (Grupo dos Cinco), entre outros.
Sophie participou, semanalmente, do dito Clube Psicológico, grupo de encontros de Carl Jung (1916). A artista criou peça para teatro de marionetes, destinado a entreter crianças: Rei Cervo [Konig Hirsh] (1918, fotografia na Fundação Arp). Sophie incorporou personagens fictícios à sua representação, como o Dr. Freud Analithycus e o Dr. Complexo. As marionetes de Sophie encontram-se reproduzidas nas fotografias publicadas (GIBSON, 1991). Quando Sophie e o estudante de engenharia Hans Arp começaram a namorar, ambos participaram do Grupo Suíço A Nova Vida [Das Neue Leben] (v.), na companhia de Marcel Janco e Fritz Baumann, entre outros. A mostra coletiva do grupo ocorreu na Kunsthalle (Berna), itinerante ao Museu de Arte Decorativa (Zurique; Suíça, 1920).
Sophie executou obras contemporâneas em bordados sobre tela, como Simetria Patética, sobre desenho de Hans Arp (1916-1917, 76 cm x 55 cm, no MNAM, Paris); costumes com tecidos e papelão, obras geométricas com ritmos livres sobre tela; desenhos, além de várias obras nas técnicas mistas com colagens variadas, além de objetos como marionetes. A artista legou seu acervo de fotos, documentos e obras para a Fundação Arp (Clamart, França). Várias de suas fotografias envergando costumes Dadá, da peça Rei Cervo, bem como outras fotos com Arp e máscaras de Marcel Janco, encontram-se reproduzidas (GIBSON, 1991). A obra de Sophie Arp,Relevo retangular com círculos cortados pintados e quadrados, cubos em relevo e cilindros (madeira cortada pintada/ madeira, no acervo do Kunstmuseum, Berna), encontra-se reproduzida (HELLER, 1997). Outra obra importante de Sophie, a Composição vertical, horizontal triângulos recíprocos (1918, óleo/ tela/ cartão, 112 cm x 157,5 cm), encontra-se no acervo da Kunsthaus (Zurique). A fotografia da decoração com tetos pintados por Sophie Arp, no Salão de Chá (1927-1928), encontra-se reproduzida (RAGON, 1992). No acervo do MAC - USP, a obra Triângulos opostos pelo vértice, com retângulos, quadrados, barras (1931, óleo/ tela, 81 cm x 65 cm).