Notícias na Hora

Loading...

sábado, 25 de abril de 2015

Ella Fitzgerald nasceu em 25 de abril de 1917


Ella Fitzgerald nasceu em 25 de abril de 1917 e veio a falecer em 15 de junho de 1996.
Famosa cantora americana, quase que praticamente reinventou o jazz. Conhecida como a “Primeira Dama da Canção”, ela poderia fazer de tudo-swing, scat, bebop, pop, e muito mais. Seu talento extraordinário e tão natural, fez Ella Fitzgerald uma das artistas mais amadas dos Estados Unidos em nosso tempo. Em seus dias quando ainda uma garota, atingiu o auge de sua carreira nos anos 40, 50 e 60 e mais com música “A-Tisket, A-Tasket”.
Na era do rock, quando os músicos foram julgados quase exclusivamente com base em seus magníficos instrumentos.
Fitzgerald não estava dotado de um instrumento incrível, mas poderia cantar igualmente bem com um pequeno grupo de jazz, uma orquestra de estúdio, ou com outros artistas como Sinatra.
Descoberta aos 16 anos, depois de ganhar um concurso de noite amador. Ela ganhou a fama no final dos anos 1930, realizando tunes novidade e baladas românticas com o hard-swinging Chick Webb Orchestra.
Durante a década de 1940, se estabeleceu como um mestre do scat singing, incorporando as novas harmonias e ritmos do bebop no surpreendente desempenho acrobático.
Então, na década de 1950, ela gravou versões definitivas de normas por maiores compositores da América, de Cole Porter a Duke Ellington. Através de tudo isso, ela nunca perdeu a alegria de menina evidente em seus primeiros registros, nunca pareceu cantar fora do tom e nunca deixou de balançar. Músicos e companheiros ficam impressionados.
A estrela sofreu muitas tragédias em sua vida, ela não foi capaz de ver o “nascimento seu próprio filho” e não foi capaz de sustentar seu casamento com “o maior amor de sua vida”, o companheiro artista de jazz Ray Brown. Ella Fitzgerald Também enfrentou traumas em sua infância, mas preferiu não de olhar para trás e nunca falava sobre o assunto. Apesar de tudo, Ella Fitzgerald tornou-se uma das poucas grandes estrelas do jazz sem problemas com a imagem pública.

Manuel Joaquim de Boaventura - Faleceu a 25 de Abril de 1973


Manuel Joaquim de Boaventura, nasceu em Vila-Chã, conselhode Esposende, a 15 de Agosto de 1885. Filho de Albino AugustoDias de Boaventura e de D. Balbina Gonçalves do Vale.- Faleceu a 25 de Abril de 1973 num trágico acidente de viação.
- Foi um escritor dedicado á sua província minhota e, em especial, ao seu " terrunho natal " que era Vila-Chã. A sua vasta obra deixa transparecer um espírito conhecedor da " vida alheia", retratando fielmente o " Modus Vivendi " deste povo.
- Publicou o seu primeiro romance "
O Solar dos Vermelhos "quando tinha a idade de 24 anos. Após este trabalho prendou-nos com dezenas de títulos que vão desde o romance aofolhetim político, passando pela Investigação Histórica. A partirdaí intensifica-se a sua vida literária tendo sido além de contistae novelista, colaborador de vários jornais, redactor principal d jornal " A Verdade ", Delegado da 2º Subcecção do Instituto deAlta Cultural, Delegado da segunda Subcecção Nacional daEducação.
O desaparecimento prematuro deste notável contista fez com que parte da sua obra ficasse por publicar e, em parte,espalhada.

A 25 de Abril de 2001 - O antigo piloto de Fórmula 1 Michele Alboretto, 44 anos, morre num acidente no circuito alemão de Lausitzring quando testava um automóvel para a próxima edição das 24 Horas de Le Mains.

A 25 de Abril de 2009 – Morre Tomaz Jorge, poeta angolano, vítima de doença prolongada. Integrou em 1950 o movimento literário nacionalista “Vamos Descobrir Angola”, ao lado de outros intelectuais como Agostinho Neto, António Jacinto e Viriato da Cruz, motivo que o levou à cadeia várias vezes, 81 anos.


Tomaz Jorge era filho do poeta Português Vieira da Cruz e nasceu em Luanda, em 1928. Em 1950 integrou o movimento literário nacionalista ' Vamos Descobrir Angola ', ao lado de outros intelectuais como Agostinho Neto, Viriato da Cruz e António Jacinto, o que o levou à cadeia várias vezes.
Membro fundador da União de Escritores Angolanos (UEA) e publicou o seu primeiro livro de poesia em 1963, "Canção da Esperança", estreia literária que arrematou, em 1995, com uma antologia da sua obra completa, " Talamungongo - 50 Anos de Poesia ", a sua herança poética. Ao procurar na net mais informação reparei que alguns blogs estão a confundir os trabalhos de Tomaz Jorge com os do seu pai, Tomaz Vieira da Cruz. Por sorte reparei no meu erro e já corrigi.
Nos últimos tempos dividiu-se por razões familiares entre Angola e Portugal, tendo sido sempre um defensor da cultura e do nacionalismo angolano.

A 25 de Abril de 2007 – Morre Carmem Costa, 86 anos, cantora brasileira.

A 25 de Abril de 2007 – Morre Alan Ball, 61 anos, antigo futebolista inglês, jogador da seleção de Inglaterra que venceu o Mundial de 1966

A 25 de Abril de 2007 – É inaugurado o Túnel do Marquês, em Lisboa, dois anos e meio depois da data prevista.

A 25 de Abril de 2004 – João Paulo II beatifica Alexandrina da Costa, a Santa de Balasar.

A 25 de Abril de 1997 – É inaugurado o monumento ao 25 de Abril, da autoria do escultor João Cutileiro, no Parque Eduardo VII, em Lisboa.

A 25 de Abril de 1995 – Morre a atriz norte-americana Ginger Rogers, Virginia Katherine McNath, 83 anos.





A 25 de Abril de 1983 – Eleições legislativas em Portugal dão a vitória ao PS



Tempo de antena do Partido Socialista às eleições legislativas de 25 de Abril de 1983, que o PS venceu com maioria relativa, tendo formado o governo do bloco central com o PSD.
O governo do bloco central haveria de cair às mãos de Cavaco Silva, dois anos depois, na sequência da sua chegada à liderança do PSD, imediatamente após a rodagem ao carro feita até à Figueira da Foz.
Primeiro de sete excertos.

A 25 de Abril de 1976 – Eleições legislativas em Portugal. O PS obtém 35% dos votos, o PPD 24%, o CDS 15,9%, o PCP 14,6% e a UDP 1,7%.

A 25 de Abril de 1975 – Eleições para a Assembleia Constituinte com uma taxa de participação de 91,7%. São as primeiras eleições livres, por sufrágio universal, sem constrangimento de estatuto social, nível de instrução ou sexo. O PS obtém 37,9% dos votos, o PPD 26,4%, o PCP 12,5%, o CDS 7,6%, o MDP-CDE 4,1% e a UDP 0,7%.

A 25 de Abril de 1974 – Às 00:20, é transmitida a senha da Operação Fim do Regime, no programa Limite da Renascença: “Grândola, Vila Morena”, de José Afonso. Horas depois, a Escola Prática de Santarém, comandada por Salgueiro Maia, ocupa o Terreiro do Paço e, mais tarde, o Largo do Carmo. Ao fim da tarde, o presidente do Governo, Marcello Caetano, rende-se.









A 25 de Abril de 1945 – Delegados de 45 países iniciam a conferência de São Francisco, nos EUA, que levaria à assinatura da Carta das Nações Unidas.

A 25 de Abril de 1910 – Abertura ao público do Edifício Chiado em Coimbra (no centro da Baixa da cidade), como filial dos grandes armazéns do Chiado em Lisboa.






EDIFÍCIO CHIADO (COIMBRA) - O Museu Municipal de Coimbra é atualmente constituído por três núcleos distribuídos por diferentes edifícios, localizados no centro histórico da cidade. O Edifício Chiado - Coleção Telo de Morais, constitui o Núcleo 1 e abriu as portas em 2001.
O Edifício Chiado, interessante exemplar da arquitetura do ferro, foi inaugurado em 1910, e situa-se na Baixa de Coimbra. Em 1998 a cidade de Coimbra recebe, por doação, uma valiosa e vasta Coleção de Arte sendo condição dos doadores, o casal Telo de Morais, a integração da totalidade do acervo no Edifício Chiado. É desta forma que surge o primeiro Núcleo Museológico do Museu Municipal.
A Coleção Telo de Morais consta de obras de pintura, mobiliário, cerâmica, escultura, pratas e outras peças heterogéneas, distribuídas pelos três andares do edifício. Esta coleção merece uma visita.
O rés-do-chão destina-se à realização de exposições temporárias. É neste piso que se encontram as peças cujas imagens estão neste vídeo. NÃO É PERMITIDO FOTOGRAFAR a coleção Telo de Morais.

25 DE ABRIL DE 2015 - Dia Internacional de Consciencialização Sobre a Alienação Parental






A Alienação Parental é uma das formas mais graves de violência psicológica contra a Criança ou Adolescente, deixando marcas para toda a vida.
Normalmente este fenómeno é provocado pelo progenitor detentor da guarda e num contexto de pós-divórcio ou separação, seja por vingança, mágoa, inconformismo com o fim do relacionamento.
Por vezes a causa é mesquinha, é o medo de que o filho goste mais do outro progenitor do que dele.
Trata-se de verdadeira campanha para desmoralizar e desacreditar o outro progenitor. O filho é utilizado, de forma abusiva, como instrumento da agressividade direcionada ao ex-parceiro.
É a tentativa, por várias formas, de impedir o convívio e a relação afetiva do filho com o outro progenitor e sua família.
O objetivo final, é o corte de vínculo afetivo com o outro progenitor e sua família!
Na prática traduz-se em determinadas ações:
- Incumprimento do regime de visitas estipulado pelo Tribunal.
- Impedimento do contacto regular com o outro progenitor e sua família alargada (telefónico, na escola, etc).
- Justificação desses incumprimentos com acusações e justificações articuladas de forma displicente, teatral e agressiva.
- Atribuição à criança, manipulada, da responsabilidade de não querer ir com o outro progenitor.
- Sonegação de informações escolares e clínicas da vida do menor.
- Alteração de residência, sem conhecimento ao outro progenitor, para o mais longe possível.
- Falsas acusações de maus tratos físicos ou abusos sexuais.
Urge encontrar medidas assertivas por parte de todos os profissionais envolvidos, para que um caso de Alienação Parental seja o mais cedo possível travado, evitando danos em termos emocionais e psicossomáticos na Criança.
Para tal é necessário formação sobre o fenómeno e ação decidida na ótica da proteção da Criança.

25 de Abril de 2015 - DIA DA LIBERDADE