sábado, 4 de maio de 2019

A tragédia de Superga



 Faz hoje 70 anos a tragédia de Superga. Depois de um jogo amigável com o Benfica em Lisboa, no regresso a Itália o avião do Torino despenhou-se e vitimou 31 pessoas. Abaixo imagens do funeral a 6 de Maio (com 500 mil pessoas, segundo fontes do Torino).

O défice de 0;5% conseguido à custa do desenvolvimento do país e do bem-estar dos portugueses



O governo PS não se cansa de elogiar a redução do défice orçamental da forma drástica como está a ser realizada, como isso fosse o objectivo principal de toda a política governamental. Mas o “milagre Centeno” é uma ilusão, que fica desmontada se se explicar como é que essa redução foi conseguida e quais as consequências para o país e para os portugueses. Foi conseguida à custa da degradação da Administração Pública central; da redução da despesa com Saúde e Educação; de um investimento público mais do que insuficiente. E deve lembrar-se que Centeno poupou nos direitos do povo, mas poderia ter poupado muito mais se não enterrasse milhões na banca e numa dívida impossível de pagar.

 Eugénio Rosa 04.May.19

ORGULHOSAMENTE PROFESSORES!

ORGULHOSAMENTE PROFESSORES!

O dinheiro que foi infiltrado nos bancos, não prejudicou o País;
As ajudas de custo, aos políticos, não prejudicou o País;
As dezenas de profissões, que têm bónus de milhares de euros, oferecidos pelos governos, não prejudica o País.
Os milhares de profissionais, que se passeiam nos carros do Estado, não prejudica o País;
Os funcionários públicos, que recebem pelas deslocações e têm direito a residência paga, não prejudicam o País;
As nomeações de milhares de "amiguinhos", a ganharem um balúrdio, num emprego sem trabalho, não prejudica o País;
Os milhares de euros, entregues a IPSS duvidosas não prejudica o País;
Os conselhos de administração, de Instituições públicas, ocupados por mandriões, vigaristas e aldrabões, a ganharem milhares de euros, não prejudica o País;
Agora, aqueles que correm um País inteiro, que pagam uma prestação de casa, mas que vão trabalhar a centenas de quilómetros, onde pagam a renda de um quarto e/ou são dos maiores consumidores de combustíveis. Que deixam os seus filhos, para ir ensinar, apoiar, acarinhar e guardar, os filhos dos outros. Aqueles, que não passam de profissionais nómadas, a construir uma sociedade, a preparem e desbravarem mentes. Aqueles, que diariamente, apoiam, ouvem e sentem os problemas de tantos e tantos jovens... esses sim, vão levar o País à banca rota, porque ganham pouco mais de mil euros líquidos, pagam todas as suas despesas, deslocações, alojamento... mas, porra, são professores... que se lixem.
Talvez, no dia, em que queiram um professor para os vossos filhos e uma escola para os acolher e guardar e não haja... pode ser que acordem.
Cada classe deveria lutar pelos seus direitos e o que eu vejo, é um bando de cidadãos contra os professores, como se estes fossem um bando de vigaristas, oportunistas e que não produzem (quando temos dos melhores ensinos do mundo) e não é, porque os programas são bons e os materiais adequados, é sim, porque temos muitos profissionais bons, no ensino (e, como em todas as profissões, também há maus profissionais, mas estes são poucos).
Lamento, que os professores sejam sempre o bode expiatório para justificar o injustificável... se alguém mentiu, foi quem na campanha prometeu e não cumpriu...
Podem falar mal, criticar, denegrir... mas a verdade é que sou orgulhosamente professor!!

segunda-feira, 4 de março de 2019

Faz hoje 18 anos!



Faz hoje 18 anos!
 Ficou conhecido como Tragédia de Entre-os-Rios um acidente, ocorrido a 4 de março de 2001, às 21:15 horas, que consistiu no colapso da Ponte Hintze Ribeiro, inaugurada em 1887, e que fazia a ligação entre Castelo de Paiva e a localidade de Entre-os-Rios.
O colapso do tabuleiro da ponte de Entre-os-Rios arrastou para as águas do Douro um autocarro e três automóveis ligeiros e tirou a vida a 59 pessoas.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

António Aleixo, poeta popular português, nasceu a 18 de Fevereiro de 1899


Ser Doido-Alegre, que Maior Ventura!

Ser doido-alegre, que maior ventura!
Morrer vivendo p'ra além da verdade.
É tão feliz quem goza tal loucura
Que nem na morte crê, que felicidade!

Encara, rindo, a vida que o tortura,
Sem ver na esmola, a falsa caridade,
Que bem no fundo é só vaidade pura,
Se acaso houver pureza na vaidade.

Já que não tenho, tal como preciso,
A felicidade que esse doido tem
De ver no purgatório um paraíso...

Direi, ao contemplar o seu sorriso,
Ai quem me dera ser doido também
P'ra suportar melhor quem tem juízo.


António Aleixo, in "Este Livro que Vos Deixo..." 

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Bem vindo Fevereiro!


FEVEREIRO 2019
DOMSEGTERQUAQUISEXSÁB
27282930310102
03040506070809
10111213141516
17181920212223
24252627280102
03040506070809
Fevereiro de 2019 têm 20 dias úteis.
Lua Nova 04   Quarto Crescente 12   Lua Cheia 19   Quarto Minguante 26  


Calendário de culturas - Fevereiro


É altura de preparar as terras para as culturas de Primavera. Devem semear-se as alfaces para depois em Março e Abril transplantar, também é altura de semear, couves, alho francês, nabo, nabiça, pimento, repolho, feijão e tomate, isto no Norte e Centro. A Sul semear, abóbora, cenoura, couves, ervilha, pimento, feijão, nabiça, pepino, tomate e melancia. Transplantar as cebolas que se colhem em Maio e as couves que se semearam em Dezembro e que se vão colher em Junho-Julho. Nas zonas altas e secas semear milho. Plantar batata a colher em Junho. Podar no minguante. Iniciar a enxertia. A rega ajuda na protecção ás geadas. Na horta ainda se pode semear, beterraba, cebola, cenoura, coentros, couve-flor, brócolos, espargos, ervilha, espinafre, fava, rabanete, salsa e segurelha. No jardim semear as flores anuais, ervilhas de cheiro, gipsófilas, manjericos, ciclames, cóleos, sécias,etc..
- A castanha e o besugo, em Fevereiro não têm sumo. 

PROVÉRBIOS DO MÊS DE FEVEREIRO

- A doçura de Fevereiro, faz o dono cavalheiro.
- A dois dias de Fevereiro, sobe ao outeiro: se a candelária chorar, está o Inverno a chegar; se a candelária sorrir, está o Inverno para vir.
- A Fevereiro e ao rapaz perdoa tudo quanto faz, se Fevereiro não for secalhão e o rapaz não for ladrão.
- A neve que em Fevereiro cai das serras, poupa um carro de estrume às vossas terras.
- Água de Fevereiro enche o celeiro.
- Água de Fevereiro mata o onzeneiro.
- Aí vem o meu irmão Março que, de oito só deixa quatro.
- Aí vem o meu irmão Março, que fará o que eu não faço.
- Ao Fevereiro e ao rapaz, perdoa tudo quanto faz.
- Aproveite em Fevereiro quem folgou em Janeiro
- Aveia de Fevereiro enche o celeiro.
- Bons dias em Janeiro enganam o homem em Fevereiro.
- Bons dias em Janeiro, pagam-se em Fevereiro.
- Candelária (2/2) chovida, à candeia dá vida.
- Chuva de Fevereiro mata o onzeneiro.
- Chuva de Fevereiro vale por estrume.
- Chuva em Dia das Candeias(2/2), ano de ribeiras cheias.
- Dia de S. Brás (3), a cegonha verás, e se não a vires o Inverno vem atrás.
- Em dia de S. Matias (24) começam as enxertias.
- Em Fevereiro chega-te ao lameiro.
- Em Fevereiro chuva, em Agosto uva.
- Em Fevereiro enche a velha o fumeiro.
- Em Fevereiro entra o sol em qualquer rigueiro.
- Em Fevereiro mata o teu carneiro.
- Em Fevereiro mete obreiro.
- Em Fevereiro neve e frio, é de esperar calor no estio.
- Em Fevereiro põe o teu fumeiro.
- Em Fevereiro põe o teu porquinho ao sol.
- Em Fevereiro, cada sulco um regueiro.
- Em Fevereiro, chega-te ao lameiro.
- Em Fevereiro, ergue-se o centeio, a aveia enche o celeiro e a perdiz faz-se ao poleiro.
- Em Fevereiro, frio ou quente, chova sempre.
- Em Fevereiro, mete obreiro; pão te comerá, mas obra te fará.
- Em Fevereiro, no primeiro jejuarás, no segundo guardarás, no terceiro dia de S. Brás.
- Em Fevereiro, vai acima ao outeiro: se vires verdejar, põe-te a chorar; se vires terrear, põe-te a cantar.
- Fevereiro afoga a mãe no ribeiro.
- Fevereiro chuvoso faz o ano formoso.
- Fevereiro coxo, em seus dias vinte e oito.
- Fevereiro couveiro faz a perdiz ao poleiro
- Fevereiro é dia, e logo é Santa Maria (2/2).
- Fevereiro é o mais curto mês e o menos cortês.
- Fevereiro enxuto rói mais que todos os ratos do mundo.
- Fevereiro enxuto, rói mais pão do que quantos ratos há no mundo.
- Fevereiro faz dia, e logo Santa Maria (2/2).
- Fevereiro matou a mãe no soalheiro.
- Fevereiro quente, traz o diabo no ventre.
- Fevereiro recoveiro faz a perdiz ao poleiro; Março três ou quatro.
- Fevereiro trocou dois dias por uma tigela de papas.
- Fevereiro, chover.
- Fevereiro, enganou a mãe ao soalheiro.
- Fevereiro, fêveras de frio, e não de linho.
- Fevereiro, o mais curto mês e o menos cortês.
- Fevereiro: rego cheio.
- Janeiro geoso e Fevereiro chuvoso fazem o ano formoso.
- Lá vem Fevereiro, que leva a ovelha e o carneiro.
- Janeiro gioso, Fevereiro nevoso, Março molinhoso, Abril chuvoso, Maio ventoso faz o ano formoso.
- Luar de Janeiro faz sair a galinha do poleiro, lá vem Fevereiro que leva a galinha e o carneiro.
- Neve em Fevereiro não faz bom celeiro.
- Neve em Fevereiro, é como a água carregada num cesteiro.
- Neve que em Fevereiro cai das serras, poupa um carro de estrume às vossas terras.
- O primeiro de Fevereiro jejuarás, o segundo guardarás e o terceiro é dia de S. Brás; semeia o cebolinho e tê-lo-ás.
- O sol de Fevereiro matou a mãe ao soalheiro.
- O tempo de Fevereiro enganou a mãe ao soalheiro.
- Para parte de Fevereiro, guarda a lenha no quinteiro.
- Pelo S. Matias (24), noites iguais aos dias.
- Por S. Brás (3) atirarás.
- Por S. Matias (24) começam as enxertias.
- Por S. Matias (24), antes de Março cinco dias salta da boga na cascalheira.
- Quando a candeia (2) chora, já o Inverno vai fora, quando a candeia ri, ainda o Inverno está para vir.
- Quando Fevereiro não tem grande frio, o vento dominará até ao Estio.
- Quando não chove em Fevereiro, não há bom prado, nem bom centeio.
- Quando não chove em Fevereiro, não há bom prado, nem bom palheiro.
- Quando não chove em Fevereiro, nem bom prado, nem bom centeio
- Quando não chove em Fevereiro, nem bom prado, nem bom lameiro, nem bom corno no carneiro.
- Quem andar a gosto, não sai de casa em Fevereiro.
- Quem quiser o alho cabeçudo, planta-o no mês do Entrudo.
- Quem quiser o alho cabeçudo, sache-o pelo Entrudo.
- Quer no começo quer no fundo, em Fevereiro vem o Entrudo.
- Rindo se vai Fevereiro, porque lhe jejuam no seu dia primeiro.
- S. Brás (3) te afogue que Deus não pode.
- Se a Senhora das Candeias (2/2) ri e chora, está o inverno meio dentro e meio fora.
- Se o Inverno não faz o seu dever em Janeiro, faz em Fevereiro.
- Se queres ser bom grãoseiro, semeia-o em Fevereiro.
- Se seco e quente é o mês de Fevereiro, guarda para os cavalos o feno no celeiro.
- Tanta chuva pelas candeias (2/2), tantas abelhas pelas colmeias.
- Tantos dias de geada terá Maio, quantos de nevoeiro teve Fevereiro.
- Vai-te embora Fevereirinho de vinte e oito, que deixaste os meus bezerrinhos todos oito; deixo estes, que
- aí vem Março que de oito deixa quatro.
- Vai-te embora Fevereiro com os teus vinte e oito; se durasses mais quatro, não durava cão nem gato.
- Vai-te embora Fevereiro que levaste o meu cordeiro! Aí vem meu irmão Março que de oito te deixa quatro.
- Vai-te embora Fevereiro, que não me deixaste nenhum cordeiro.
- Vai-te embora irmão Fevereiro que cá fica a minha ovelha com o meu cordeiro; mas lá vem o irmão Março que não deixará ovelha nem farrapo, nem o pastor se for fraco.
- Vale mais no rebanho ter um lobo, que mês de Fevereiro formoso.
- Vale mais uma raposa no galinheiro, que um homem em camisa em Fevereiro.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

O NETO E O AVÔ!

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado, relva, ar livre e natureza

O NETO E O AVÔ !


Numa tarde, de repente, o neto perguntou: Quantos anos tem, avô ?
E o avô respondeu: Bem, deixa-me pensar um momento...
Nasci antes da televisão, e já crescidinho apareceu, com um único canal e a preto e branco.
Nasci antes das vacinas contra muitas doenças, das comidas congeladas, da fotocopiadora, das lentes de contacto e da pílula anticoncepcional.
Não existiam os cartões de crédito, o raio laser nem os patins on-line.
Não se tinha inventado o ar condicionado, as máquinas de lavar e secar, (as roupas secavam ao vento) e frigoríficos quase ninguém tinha.
Pouca gente tinha automóvel ( contavam-se pelos dedos ) e não havia semáforos por não serem precisos.
O homem nem tinha chegado à lua.
A tua avó e eu casámos e só depois vivemos juntos e em cada família havia um pai e uma mãe.
"Gay" era uma palavra inglesa que significava uma pessoa contente, alegre e divertida, não homossexual.
Das "lésbicas nunca tínhamos ouvido falar e os rapazes não usavam "piercings."
Nasci antes das duplas carreiras universitárias e das terapias de grupo.
Não havia computador, comunicávamos através de cartas, postais e telegramas.
"Mails, chats e Messenger", não existiam. Computadores portáteis ou Internet nem em sonhos...
Estudávamos só por livros e consultávamos enciclopédias e dicionários.
Chamava-se a cada polícia e a cada homem "senhor" e a cada mulher "senhora".
Nos meus tempos a virgindade não produzia cancro.
As nossas vidas eram governadas pelos 10 mandamentos e bom juízo.
Ensinaram-nos a diferenciar o bem do mal e a ser responsáveis pelos nossos actos.
Acreditávamos que "comida rápida" era o que comíamos quando estávamos com pressa.
Ter um bom relacionamento, queria dizer dar-se bem com a família e amigos.
Tempo compartilhado, significava que a família compartilhava as férias juntos.
Ninguém conhecia telefones sem fios e muito menos os telemóveis.
Nunca tínhamos ouvido falar de música estereofónica, rádios FM, Fitas, cassetes, CDs, DVDs, máquinas de escrever eléctricas, calculadoras
"Notebook" era um livro de anotações.
"Ficar" dizia-se quando pessoas ficavam juntas como bons amigos.
Aos relógios dava-se corda todos os dias, mesmo aos de pulso.
Não existia nada digital, nem os relógios nem os indicadores com números luminosos dos marcadores de jogos, nem as máquinas.
Falando de máquinas, não existiam as cafeteiras eléctricas, ferros de passar eléctricos, os fornos microondas nem os rádios-relógios despertadores. Para não falar dos vídeos ou VHF, ou das máquinas de filmar minúsculas de hoje...
As fotos não eram instantâneas e nem coloridas. Eram a branco e preto e a sua revelação demorava mais de três dias. As de cores não existiam e quando apareceram, a sua revelação era muito cara e demorada.
Se nos artigos lêssemos "Made in Japan", não se considerava de má qualidade e não existia "Made in Korea", nem "Made in Taiwan", nem "Made in China".
Não se falava de "Pizza Hut" ou "McDonald's", nem de café instantâneo.
Havia casas onde se compravam coisas por 5 e 10 centavos. Os sorvetes, os bilhetes de autocarros e os refrigerantes, que se chamavam pirolitos, tudo custava 10 centavos.
No meu tempo, "erva" era algo que se cortava e não se fumava.
"Hardware" era uma ferramenta e "software" não existia.
Fomos a última geração que acreditou que uma senhora precisava de um marido para ter um filho .
Agora diz-me, quantos anos achas que tenho ?
- Meu Deus, Avô ! Mais de 200 ! (disse o neto).
- Não, querido. Tenho 66.

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

A Rainha Vitória do Reino Unido, morre a 22 de Janeiro de 1901

Leonel Brizola, político brasileiro, nasceu a 22 de Janeiro de 1922

Antonio Gramsci, filósofo e político italiano, nasceu a 22 de Janeiro de 1891

Lord Byron, poeta britânico, nasceu a 22 de Janeiro de 1788

Francis Bacon, filósofo inglês, nasceu a 22 de Janeiro de 1561

A 22 de Janeiro de 1905 deu-se o chamado Domingo Sangrento em São Petersburgo, início da revolução de 1905.

22 de Janeiro dia de S. Vicente

Dia de São Vicente

O Dia de São Vicente celebra-se a 22 de janeiro.

Vicente de Saragoça, ou São Vicente de Fora, foi um mártir que viveu entre o século III e o século IV, e que se negou a adorar os deuses pagãos. Por essa recusa, Vicente foi brutalmente martirizado até morrer, possivelmente a 22 de janeiro de 304. O seu corpo foi atirado aos animais, mas terá sido protegido por um corvo de ser devorado, o que levou o povo a considerar Vicente um santo.
Com a invasão muçulmana em 713 na Península Ibérica, o corpo de São Vicente foi colocado num barco à deriva no mar, dando à costa no Promontório Sacro, Cabo de Sagres, que passou a chamar-se Cabo de São Vicente.
D. Afonso Henriques resgatou o corpo de São Vicente aos sarracenos em Sagres e ordenou o envio das relíquias do santo para Lisboa por barco. Segundo a lenda, dois corvos velaram o transporte do corpo de São Vicente, o que levou a uma adoração imensa pelos habitantes de Lisboa. O brasão da cidade de Lisboa alude a esta barca e a estes dois corvos.
São Vicente tornou-se deste modo o padroeiro de Lisboa e do Algarve, assim como de Valência e de Vicenza.