sábado, 12 de agosto de 2017

O VERDADEIRO MONSTRO (de) "CEM" CABEÇA(s)!...

Foto de Guilherme Antunes.
DECREPITUDE
O novo secretário de Estado António Mendonça Mendes é irmão da deputada e dirigente máxima socialista Ana Catarina Mendes. Esta, por sua vez, é casada com o antigo ministro Paulo Pedroso.
Uma ligação excepcional na política portuguesa? Infelizmente, não. Este absurdo é o corolário lógico dum sistema político dominado por laços familiares.
No governo, Parlamento e na alta administração pública, estamos cheios de casados, primos e cunhados. O ministro Eduardo Cabrita é casado com Ana Paula Vitorino, que também integra o governo.
Já a secretária de Estado adjunta de António Costa, Mariana Vieira da Silva, é filha de outro Vieira da Silva, o ministro da Segurança Social. A titular da Justiça, Van Dunem, é casada com o ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos, Eduardo Paz Ferreira.
A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, é filha de Alfredo José de Sousa, ex-provedor de Justiça. Ainda no actual Executivo, temos o secretário de Estado Waldemar de Oliveira Martins que é filho de Guilherme Oliveira Martins, ex-presidente do Tribunal de Contas e actual presidente do Conselho Fiscal da Caixa; este, por sua vez, é cunhado de Margarida Salema, que preside à Entidade das Contas e Financiamentos Políticos; esta é irmã da deputada Helena Roseta, casada com o ex-ministro Pedro Roseta, que é cunhado do também ex-ministro António Capucho. Elisa Ferreira, administradora do Banco de Portugal, é casada com Freire de Sousa que preside à Comissão de Coordenação do Norte.
No Parlamento, também os cargos políticos se congeminam no lar. O exemplo familiar mais exótico nos dias de hoje é constituído pelas gémeas Mariana e Joana Mortágua; o mais romântico será constituído pelo casal de deputados Teresa Anjinho e Ricardo Leite.
Na Assembleia da República, cruzaram-se, ao longo dos últimos anos, mais familiares do que numa ceia de natal: Luís Menezes, filho de Luís Filipe Menezes, Nuno Encarnação, filho do ex-ministro Carlos Encarnação, todos do PSD; e os deputados Candal, pai Carlos e filho Afonso, ambos do PS; a que se juntam Paulo Mota Pinto, filho do anterior 1º ministro Mota Pinto e da ex-provedora da Santa Casa da Misericórdia, Fernanda Mota Pinto; Clara Marques Mendes, deputada, é filha e irmã de dois outros Marques Mendes, António e Luís. António foi euro-deputado, Luís ministro e líder parlamentar; Teresa Alegre Portugal era deputada na mesma bancada do seu irmão, o histórico dirigente socialista Manuel Alegre.
A consanguinidade reina no... reino político. Paulo Portas, ex-ministro e líder do CDS, é primo do todo-poderoso socialista Jorge Coelho.
O ex-secretário de Estado de Passos Coelho, João Taborda da Gama, é filho do socialista Jaime Gama, antigo presidente do Parlamento. António Campos, ex-ministro, é pai de Paulo Campos, deputado.
O ex-ministro das Finanças Vítor Gaspar é primo do Conselheiro de Estado Francisco Louçã. E este é cunhado de Correia de Campos, presidente do Conselho Económico e Social e ex-ministro da Saúde.
A histórica presidente do Partido Socialista e ex-ministra dos governos de Guterres, Maria de Belém Roseira, é tia de Luísa Roseira, membro da Entidade Reguladora para a Comunicação Social.
Esta é uma lista interminável que se inscreve numa tradição que transitou do antigo regime. E que se manteve, transpondo - e suplantando até - a Revolução de Abril. O ex-ministro da Cultura Manuel Maria Carrilho é filho de um governador civil de Viseu, nomeado pelo governo de Salazar.
O presidente de Assembleia Constituinte da jovem democracia de Abril, Henrique de Barros, era cunhado do último chefe do governo do velho fascismo, Marcelo Caetano. Em sua homenagem, o actual presidente da República herdou-lhe o nome. Marcelo Rebelo de Sousa é, ele próprio, filho de um ministro do Ultramar de Caetano.
E é neste quadro de sucessão dinástica que Portugal, uma arruinada República, mantém uma corte decrépita, dominada por poucas dezenas de famílias que estão agarradas ao poder público e às benesses que este proporciona.
Para aceder ao poder, não será necessária grande consistência política ou ideológica ou, sequer, sentido de interesse público. Em primeiro lugar, o que prevalece, são os laços de sangue.
PS: Mário Soares fica para outra oportunidade, por falta de espaço.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Viana do Castelo




Viana do Castelo

 Viana do Castelo, póvoa marítima que se desenvolve a partir do reinado de D.Manuel I, com o comércio do ciclos dos panos ingleses e do sal, do ferro com Astúrias e Biscaia, e o ciclo do Bacalhau na Terra Nova. O seu período áureo dá-se com o ciclo do açúcar brasileiro; em 1590 são 70 navios da frota vianense que se ocupam do transporte de açúcar. Cidade recheada de edificios de elevada qualidade arquitectónica, autenticas esculturas em granito. Entre 1510-1630 foram criados nada menos do que 6 conventos. No interior das Igrejas temos azulejos originais de várias épocas, talha dourada de qualidade, onde podemos apreciar os trabalhos de André Soares, e João Lopes entre outros artistas nortenhos.

Viana do Castelo, a joia da Costa Verde





VIANA DO CASTELO

Viana do Castelo é uma das mais bonitas cidades do norte de Portugal. A sua participação nos Descobrimentos portugueses e, mais tarde, na pesca do bacalhau mostram a sua tradicional ligação ao mar.
A Viana do Castelo depressa se acede a partir do Porto, ou de Valença para quem vem de Espanha. Do monte de Santa Luzia pode observar-se a situação geográfica privilegiada da cidade, junto ao mar e à foz do rio Lima. Esta vista deslumbrante e o Templo do Sagrado Coração de Jesus, edifício revivalista de Ventura Terra, de 1898, podem ser o ponto de partida para visitar a cidade.
Viana enriqueceu-se com palácios brasonados, igrejas e conventos, chafarizes e fontanários que constituem uma herança patrimonial digna de visita. No Posto de Turismo pode-se pedir uma brochura e fazer percursos de inspiração manuelina, renascença, barroca, art deco ou do azulejo.
Percorrendo algumas das ruas do centro histórico sempre se chega à Praça da República, o coração da cidade. É onde ficam o edifício da Misericórdia e o chafariz, quinhentistas, assim como os antigos Paços do Concelho. Não longe fica a românica Sé ou Igreja Matriz.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

19/07/2017 - Visita às vinhas, apreciando a vitalidade da Natureza.

Visita às vinhas que nesta altura do ano revelam vaidosas o fruto que foi sofrendo "metamorfoses" até ao dia em que será o saboroso néctar, bálsamo de renovação da vida, ao qual os humanos terão acesso através de convite divino.



























































sábado, 24 de junho de 2017

Fadinho do Bacalhau



Fadinho do Bacalhau

Dantes era o mais fiel
Dos amigos deste povo
Até com espinhas e pele
Marchava com couves, com alho e com ovo

Agora subiu de posto
Está pela hora da morte
Quem quiser saber-lhe o gosto
Vai pagar com juros e tem muita sorte

Ai! Que saudades do meu bacalhau
Das pataniscas, das postas na brasa
Com cebolinhas e com colorau
Com feijão frade à moda da casa

Ai! Pastelinhos onde é que eles estão?
Meia-desfeita quando é que eu a faço?
E até aquilo que se faz à mão
Sem bacalhau, nunca mais faço

Quando fores à mercearia
Não compres por lebre gato
Se é abrotea é porcaria
Enrola no tacho e não sai barato

O que é preciso é a malta
Exigir de muitos modos
Que se acabe com a falta
E haja bacalhau com todos, para todos

Ai! Que saudades do meu bacalhau
Das pataniscas, das postas na brasa
Com cebolinhas e com colorau
Com feijão frade à moda da casa

Ai! Pastelinhos onde é que eles estão?
Meia-desfeita quando é que eu a faço?
E até aquilo que se faz à mão
Sem bacalhau, nunca mais faço


Ai! Pastelinhos onde é que eles estão?
Meia-desfeita quando é que eu a faço?
E até aquilo que se faz à mão...
Sem bacalhau, nunca mais faço

terça-feira, 13 de junho de 2017

Um Violino no Fado

Seis razões para Amar o Minho



Pode ficar a conhecer em 10 minutos um território marcado pela natureza onde não faltam cenários para passeios a pé, de bicicleta, a cavalo… pelo património dos castelos, igrejas e conventos, pelas fabulosas termas e spas, pela rica tradição e eventos culturais e desportivos, pela notável gastronomia plena de sabores e pelo gosto de bem receber. O Minho oferece história, aventura e experiências inesquecíveis a quem o visita.

domingo, 11 de junho de 2017

Isto sim, são grafittis!


Isto sim, são grafittis! de João Couto

Sonho Meu para a velha guarda



As SMS para os maridos...

Um grupo de mulheres reuniu-se num seminário com o título
«Sobre como melhorar a sua vida conjugal».
Em fase introdutória, foi-lhes questionado:
“Quais de vós ainda amam os seus maridos?”
– Todas levantaram a mão!
De seguida foram inquiridas sobre:
a última vez que teriam dito aos seus maridos que o amavam.
– Algumas responderam:
“Hoje”, outras “Ontem”. A maioria não se recordava!
Por fim, fizeram um teste!
Pediram-lhes que todas agarrassem no respectivo telemóvel
e enviassem uma SMS aos seus maridos dizendo:

“Amo-te muito Querido.”
E
Depois, foi-lhes pedido que mostrassem
as respostas dos respectivos maridos.
Estas foram algumas das respostas:

– Mãe dos meus filhos! Tu estás bem??
– Que foi? Bateste com o carro outra vez?
– Que fizeste agora? Desta vez não te perdoo!
– Que queres dizer?
– Não andes com rodeios, diz-me só de quanto precisas.
– Estarei a sonhar?
– Se não me dizes para quem era este sms, juro que te mato!



E a melhor de todas:
– QUEM ÉS?

terça-feira, 30 de maio de 2017

Voe nas asas da águia Vitória em 360º



Já imaginou o que seria sobrevoar o Estádio da Luz com a nossa imperial Águia Vitória? Não imagine mais, veja aqui… prepare-se é de cortar a respiração!!