quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

6 de Dezembro de 2018 - Festa de S. Nicolau na Rússia, o Papa Noel do Ocidente



Festa de São Nicolau é uma festa, celebrada anualmente no dia 5 de dezembro nos Países Baixos e no dia 6 de dezembro na Bélgica com a vinda de São Nicolau que entrega presentes para as crianças. A festa também é comemorada, mas em menor escala, na Alemanha, na Áustria, na França, na Indonésia, no Luxemburgo, na Suíça, na Polônia, na República Checa e principalmente nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.




Louis Blanc, historiador e socialista francês, morreu a 6 de Dezembro de 1882

D. Afonso I de Portugal, morreu a 6 de Dezembro de 1185

António Feio, ator português, nasceua 6 de Dezembro de 1954

Urbano Tavares Rodrigues, escritor e ensaísta português, nasceu a 6 de Dezembro de 1923

Frédéric Bazille, pintor francês, nasceu a 6 de DEzembro de 1841

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Natal 2018

Texto alt automático indisponível.

A História pode não servir para mais nada, mas esta revela a sua importância.

Texto alt automático indisponível.

Nelson Mandela, político sul-africano, morreu a 5 de Dezembro de 2013

Oscar Niemeyer, arquiteto brasileiro, morreu a 5 de Dezembro de 2012

Soeiro Pereira Gomes, escritor português , morreu a 5 de Dezem,bro de 1949




Joaquim Soeiro Pereira Gomes nasceu em Gestaçô, Porto, em 1910.
Frequentou a Escola Agrícola de Coimbra, onde tirou o curso de regente agrícola, e mais tarde emigrou para Angola, onde exerceu a sua profissão durante cerca de um ano, na Companhia do Catumbela. Voltou para Portugal e fixou-se em Alhandra, em 1932, onde trabalhou como empregado de escritório na Fábrica de Cimentos Tejo. Aqui desenvolveu uma intensa actividade de dinamização cultural junto do operariado.
Mas foi como escritor que Soeiro Pereira Gomes se notabilizou, sendo um dos mais coerentes e claros exemplos da ficção neo-realista em Portugal.

"É nas páginas de O Diabo, semanário fundamental no processo de elaboração de uma poética e de uma consciência geracional neo-realistas, que publica, a partir de 1939, os seus primeiros textos." (Osvaldo Silvestre)

Da sua obra constam dois romances, onde a crítica social é profunda, e vários contos, que são uma exaltação do comunismo e dos seus militantes.
Militante comunista, Soeiro Pereira Gomes foi membro do Comité Central do PCP, o que o levou a entrar na clandestinidade em 1943, condição em que viria a morrer seis anos depois, vítima de tuberculose, impossibilitado de receber o tratamento médico de que necessitava.
A sua obra maior é Esteiros, publicado em 1941, com ilustração de Álvaro Cunhal. "Dedicado aos "filhos dos homens que nunca foram meninos" o romance acompanha (...) as deambulações de um grupo de míudos (...), cuja condição social lhes impõe, em vez da escola, o trabalho numa rudimentar fábrica de tijolos à beira-Tejo. É certo que algum primarismo de processos construtivos, bem como algum esquematismo, são reconhecíveis no romance (...). Tudo isso, porém, Esteiros transcende pela terrível verdade humana de um grupo de crianças que responde à violência do sistema social através de uma solidariedade alimentada por uma permanente derrogação à moral social dominante (...)"(idem)

Engrenagem "é igualmente uma obra central do nosso neo-realismo, antes de mais por ser uma das muito poucas abordagens do universo do capitalismo industrial, de facto quase ausente da produção neo-realista" portuguesa.(idem)

Engrenagem, romance publicado em 1951, já depois da sua morte, foi escrito na clandestinidade, assim como os Contos Vermelhos, Última Carta e Refúgio Perdido, também publicados 
postumamente.

Raul Brandão, jornalista e escritor português, morreu a 5 de Dezembro de 1930

Claude Monet, pintor francês. morreu a 5 de Dezembro de 1926

Alexandre Dumas, pai, escritor francês. morreu a 5 de Dezembro de 1870

Wolfgang Amadeus Mozart, compositor e músico austríaco, morreu a 5 de Dezembro de 1791

Walt Disney, desenhista e empresário norte-americano, nasceu a 5 de Dezembro de 1901

A Lei Seca acaba nos Estados Unidos a5 de DEzembro de 1933

Golpe de Estado e assumpção do poder (governo e presidência) por parte de Sidónio Pais a 5 de Dezembro de 1917

D. Manuel I assina o decreto de expulsão dos Judeus de Portugal a 5 de Dezembro de 1496