quarta-feira, 28 de março de 2018

O tempo é um destravado!...



Eu sei Que a vida tem pressa Que tudo aconteça Sem que a gente peça Eu sei Eu sei Que o tempo não pára O tempo é coisa rara E a gente só repara Quando ele já passou Não sei se andei depressa demais Mas sei, que algum sorriso eu perdi Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo Para olhar para ti De agora em diante, não serei distante Eu vou estar aqui Cantei Cantei a saudade Da minha cidade E até com vaidade Cantei Andei pelo mundo fora E não via a hora De voltar p'ra ti Não sei se andei depressa demais Mas sei, que algum sorriso eu perdi Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo Para olhar para ti De agora em diante, não serei distante Eu vou estar aqui Não sei se andei depressa demais Mas sei, que algum sorriso eu perdi Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo Para olhar para ti De agora em diante, não serei distante Eu vou estar aqui

quarta-feira, 7 de março de 2018

É ISSO; O TEMPO NÃO PÁRA!



___ O tempo não pára ___ Música e letra: Miguel Gameiro Arranjo musical: Tiago Machado Eu sei Que a vida tem pressa Que tudo aconteça Sem que a gente peça Eu sei Eu sei Que o tempo não pára O tempo é coisa rara E a gente só repara Quando ele já passou Não sei se andei depressa demais Mas sei, que algum sorriso eu perdi Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo Para olhar para ti De agora em diante, não serei distante Eu vou estar aqui Cantei Cantei a saudade Da minha cidade E até com vaidade Cantei Andei pelo mundo fora E não via a hora De voltar p'ra ti Não sei se andei depressa demais Mas sei, que algum sorriso eu perdi Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo Para olhar para ti De agora em diante, não serei distante Eu vou estar aqui Não sei se andei depressa demais Mas sei, que algum sorriso eu perdi Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo Para olhar para ti De agora em diante, não serei distante Eu vou estar aqui

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios - Lamego



Belas Imagens aéreas e terrestre do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego, classificado como Imóvel de Interesse Público. Imagens do interior e exterior da igreja.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

As 15 cenas mais caricatas do congresso do PSD



"Esta entrada atribulada". "Vocês ainda me excitam". "O coração bate mais depressa". "Não vamos comer robalos". "Vamos acabar com esta porcaria toda". O best of do congresso

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

!3 de Fevereiro de 2018 - Bom Carnaval

Foto de João Couto.

13 de Fevereioro de 2018 "Dia Mundial da Rádio"



“Um não sei quê de alegria” Letra – Tiago Torres da Silva Música – Tozé Brito Arranjos e Produção Musical – Fernando Martins Técnicos de estúdio – Samuel Rodrigues, assistido por Quico Barros Letra: Não há passado ou presente Nem há hora tão tardia Em que a rádio não invente Uma nova melodia Pode ir escrevendo o futuro Pode às vezes dar saudade Mas é nela que eu descubro Um sabor a novidade Com ela senti o valor da amizade No final de uma canção Antes de vir a seguinte O silêncio é a paixão Entre a rádio e o ouvinte Entre o drama e a comédia Na aldeia ou na cidade FM ou onda média Ensinando a igualdade E foi ela que anunciou a liberdade Nas horas de festa A rádio empresta Um não sei quê de alegria Em contradição Quando há solidão Ela é que me faz companhia Mora aonde eu moro Chora quando choro E ri porque quer que eu me ria Não me pede nada E de madrugada A rádio é que me diz bom dia Nas horas de festa A rádio empresta Um não sei quê de alegria Em contradição Quando há solidão Ela é que me faz companhia Mora aonde eu moro Chora quando choro E ri porque quer que eu me ria Não me pede nada E de madrugada A rádio é que me diz bom dia Sei que a rádio é uma escola Ouvimos o que ela diz Desde os relatos da bola Às notícias do país E porque é nossa a vitória A pé ou de bicicleta A Rádio é que conta a História De quem vai cruzar a meta Quem a inventou com certeza era um poeta Se a selecção sofre um golo A rádio é que se levanta E é ela que dá consolo Se a tristeza se agiganta Quando o sol ‘stá a cair E a noite se inquieta A rádio não vai dormir Segue sempre em linha recta É uma paixão que o coração quer secreta Nas horas de festa A rádio empresta Um não sei quê de alegria Em contradição Quando há solidão Ela é que me faz companhia Mora aonde eu moro Chora quando choro E ri porque quer que eu me ria Não me pede nada E de madrugada A rádio é que me diz bom dia Nas horas de festa A rádio empresta Um não sei quê de alegria Em contradição Quando há solidão Ela é que me faz companhia Mora aonde eu moro Chora quando choro E ri porque quer que eu me ria Não me pede nada E de madrugada A rádio é que me diz bom dia.