terça-feira, 20 de março de 2012

Hoje é o Equinócio da Primavera

Equinócio da Primavera


"O ignorante afirma

O sábio duvida

O sensato reflete"

Aristóteles



Em astronomia, equinócio é definido como um dos dois momentos em que o Sol, em sua órbita aparente (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste). Mais precisamente é o ponto onde a eclíptica cruza o equador celeste.
A palavra equinócio vem do Latim e significa "noites iguais". Os equinócios acontecem em Março e Setembro, as duas ocasiões em que o dia e a noite tem duração igual. Ao medir a duração do dia, considera-se que o nascer do Sol é o instante em que metade do corpo solar está acima (ou metade abaixo) do horizonte, e o pôr do Sol o instante em que o corpo solar encontra-se metade abaixo (ou metade acima) do horizonte. Com esta definição o dia durante os equinócios tem 12 horas de duração.
No hemisfério Norte o equinócio de Março é o Equinócio de Primavera (chamado de Verão ou Vernal), e o de Setembro é o Equinócio de Outono. O inverso ocorre no hemisfério Sul.
O Equinócio de Primavera (hemisfério Norte) ocorre nos dias 20 ou 21 de Março e o de Outono em 22 ou 23 de Setembro. A data varia devido aos anos bissextos, que deslocam o calendário das estações em um dia. Devido à órbita elíptica da Terra, as datas nas quais ocorrem os equinócios não dividem o ano em um número igual de dias. Isto ocorre porque quando a Terra está mais próxima do Sol periélio viaja mais velozmente do que quanto está mais longe afélio.


E já agora deixo outra referência:

Páscoa e ressurreição


A ressurreição de Cristo teria acontecido próximo do equinócio da primavera (quando dia e noite têm a mesma duração) e durante uma lua cheia. Por isso a data da Páscoa deveria ser calculada com base nesses dois fenómenos.
Em 325 d.C., o Concílio de Nicéia estabeleceu regras bastante rígidas para a determinação da Páscoa: ela é celebrada no primeiro domingo após a lua cheia que vier depois de 21 de Março, início da Primavera no hemisfério norte – e isto substituiria os ritos pagãos de fertilidade.
Mas essa regra baseava-se na suposição de que o equinócio da Primavera boreal acontecia sempre no dia 21 de Março. Naquela época o calendário utilizado era o Juliano, instituído pelo Imperador Júlio César, que embutia vários erros. Com o passar dos séculos, o equinócio da primavera afastou-se do dia 21 de Março, fazendo a Páscoa deslocar-se pouco a pouco para o Verão.