sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Para estas coisas somos nós inteligentes!...

Oficinas portuguesas já recorrem
a esquema ilegal em automóveis

A fraude que está na origem de um dos maiores escândalos do mundo automóvel já está a ser praticada em Portugal há algum tempo, embora com outras finalidades.
O esquema ilegal, revelado não é detetável nas inspeções periódicas. O filtro de partículas do motor retira do fumo de escape alguns dos poluentes perigosos que são libertados pelo motor a diesel. Quando este é removido, prática comum em dezenas de oficinas, esses poluentes são expulsos para a atmosfera.
A remoção do filtro de partículas traz alguns benefícios ao proprietário do automóvel, visto que estas peças causam problemas e podem ser dispendiosas de substituir ou reparar. A inspeção obrigatória periódica não verifica as partículas e o óxido de azoto emitidos, pelo que esta operação não é detetada.
.

A prática, embora diferente do esquema ilegal dos motores da Volkswagen que foi revelado na sexta-feira passada e cuja extensão mundial se foi conhecendo ao longo desta semana, tem um impacto semelhante. Faz com que automóveis cujos níveis de poluição foram verificados e estavam dentro do limite legal passem a poluir descontroladamente quando são usados na estrada, sem que isso volte a ser detetado.
A Volkswagen está envolvida num escândalo por ter desenvolvido e implementado em milhões de automóveis um software que fazia com que os motores a diesel falseassem resultados positivos nos testes de controlo de emissões de gases e partículas poluentes. Esse software era capaz de fazer com que o carro emitisse dentro dos limites legais enquanto estava a ser testado, e poluísse muito acima desses níveis quando na estrada. O escândalo já levou ao lançamento de investigações por todo o mundo e à demissão do presidente da empresa, e obrigou a Volkswagen a retirar mais de meio milhão de carros das estradas norte-americanas.

"JORNAL DE NOTÍCIAS"