terça-feira, 20 de outubro de 2015

A 20 de Outubro de 2014 - Morreu Oscar Arístides Ortiz de la Renta Fiallo



Oscar Arístides Ortiz de la Renta Fiallo, estilista e designer de moda dominicano, naturalizado norte-americano em 1971, morreu em Kent no dia 20 de Outubro de 2014. Nascera em Santo Domingo, em 22 de Julho de 1932. Filho de mãe dominicana e pai porto-riquenho, mudou-se para Espanha aos dezoito anos de idade. Trabalhou em diversas casas de moda, tais como Cristóbal Balenciaga,António Castillo e Elizabeth Arden.
Em Madrid, iniciou os estudos na Academia de San Fernando para se tornar pintor, mas em breve mudaria de rumo e encarreirou-se para a Moda, ganhando grande fama quando um vestido de sua criação foi usado pela filha do embaixador dos EUA e apareceu na capa da revista “Life”.
Em 1973, fez um desfile em Paris, que constituiu o primeiro confronto entre estilistas europeus (Hubert de Givenchy, Yves Saint Laurent, Emmanuel Ungaro, etc.) e americanos (Oscar de la Renta, Roy Halston, Anne Klein, Bill Blass e Stephen Burrows), perante 700 personalidades, entre as quais a princesa Grace do Mónaco, Andy Wahrol e Liza Minnelli.
A partir de 1992, trabalhou para a Balmain, precisamente após ter apresentado a sua própria colecção na Fashion Week de Paris. De 1993 a2002, desenhou as colecções da Balmain, tornando-se o primeiro designer de moda norte-americano a conceber modelos para uma casa de costura francesa.
Oscar de la Renta é reconhecido como um dos grandes estilistas do mundo, nomeadamente com os seus vestidos de noiva (como o de Amal Alamuddin, a esposa de George Clooney), os vestidos para as estrelas das cerimónias dos Oscars e dos Globos de Ouro e por ter vestido várias das primeiras-damas norte-americanas (Betty Ford, Hillary Clinton, Jacqueline Kennedy, Nancy Reagan e Laura Bush).
Casou-se em 1967 com Françoise de Langlade, chefe de redacção da “Voigue France”, que morreu de doença oncológica em 1983. Voltou a casar-se, seis anos mais tarde, com Annette Mannheimer. Oscar de la Renta faleceu em 2014, vítima também de cancro.
Em 1999, recebera a Medalha de Ouro de Mérito das Belas-Artesespanhola. A República Dominicana outorgou-lhe também a Ordem de Mérito Juan Pablo Duarte e a Ordem de Cristóvão Colombo.
Foi membro do comité da Metropolitan Opera; da New York Opera House; do Carnegie Hall; e do canal de televisão Thirteen/WNET. Participou em várias obras de beneficência, como a New Yorkers for Children ou a The America's Society, e foi presidente do Queen Sofia Spanish Institute de Nova Iorque, que assegurava a promoção da língua e da cultura espanholas. No seu país de origem, contribuiu para a construção de um orfanato em La Romana e de uma escola em Punta Cana, onde não havia nenhum estabelecimento de ensino.