domingo, 1 de novembro de 2015

A 01 de Novembro de 1903 - Morreu Theodor Mommsen



Christian MatthiasTheodor Mommsen, historiador alemão de origem dinamarquesa, agraciado com o Nobel da Literatura de 1902 pela sua monumental “História de Roma”, morreu em Charlottenburg no dia 1 de Novembro de 1903. Nascera em Garding, em 30 de Novembro de 1817.
É considerado um dos maiores especialistas de todos os tempos em história de Roma Antiga e muitos dos seus escritos e compilações de documentos ainda hoje conservam uma importância capital.
Após os estudos básicos e clássicos em Altona (1831/38), estudou Jurisprudência na Universidade de Kiel (1838/43). Fez depois um amplo estudo da Lei Romana, o que influenciou as suas futuras pesquisas.
Mommsen inspirou-se na sua ideia de haver uma inter-relação muito próxima entre a História, o Direito e a Filosofia. Muitos dos seus ensinamentos foram basilares para os escritos de Friedrich Karl von Savigny, um dos fundadores da escola histórica da jurisprudência.
Após ter feito o mestrado e o doutoramento, obteve uma bolsa que lhe permitiu estar três anos (1844/47) em França e Itália. Durante este período, a Itália tornou-se a sua segunda casa. Um dos seus quartéis-generais foi o Instituto Arqueológico Romano, no qual recolhia dados para as suas pesquisas. Concebeu também o seu plano para o “Corpus Inscriptionum Latinarum”, uma colecção de inscrições em latim.
Dedicou-se depois à política, defendendo os seus ideais na imprensa local. Ensinou Direito em Leipzig (1848). Destituído por causa das suas ideias liberais, foi depois professor em Zurique (1852), Breslau (1854) e Berlim (1858). Foi deputado entre 1873 e 1882, ano em que foi condenado a prisão durante alguns meses por oposição a Bismarck.
Este pesquisador fora do comum, capaz de dominar múltiplas matérias, fundou uma escola histórica destinada aos seus trabalhos e ao seu ensino. Foi recebido por Napoleão III nas Tulherias (Paris) e reconhecido como uma sumidade em História Antiga, não só pelo imperador como pelos sábios que o rodeavam.
Foi secretário perpétuo da Academia das Ciências da Prússia desde 1878. Consagrou o resto da vida ao aprofundamento das suas obras e ao ensino. Teve 16 filhos com a sua esposa Marie. Dois dos seus netos (Hans e Wolfgan) são também conhecidos historiadores.