domingo, 15 de novembro de 2015

A 15 de Novembro de 1902 - Nasceu Frederico de Freitas




Frederico de Freitas nasceu em Lisboa a 15 de Novembro de 1902 e morreu em Lisboa a 12 de Janeiro de 1980, foi um compositor, chefe de orquestra, musicólogo e pedagogo.
Depois de concluir com distinção no Conservatório Nacional de Lisboa os cursos superiores de composição, piano, violino e ciências musicais, iniciou em Lisboa uma carreira como compositor e chefe de orquestra que incluiu praticamente todos os géneros musicais, da música religiosa e da ópera, ao teatro ligeiro, à música para filmes, à música de câmara concertante e à canção para canto e piano. É autor da partitura para o filme A Severa, de Leitão de Barros, um dos mais populares de sempre do cinema português.
Iniciou os primeiros estudos musicais com a sua mãe Elvira Cândida de Freitas, distinta pianista, discípula de Francisco Baía e de Francisco de Lacerda.
Aos 13 anos de idade entrou para o Conservatório Nacional de Lisboa, instituição onde estudou piano com Carlos Reis, violino com Alexandre de Bettencourt, ciências musicais com Luís de Freitas Branco, harmonia com José Henrique dos Santos e contraponto, fuga e alta composição com António Eduardo da Costa Ferreira.
Três anos depois, em 1918, surgiram as suas primeiras obras “Duas Ave Marias” em homenagem a Nossa Senhora.
Paralelamente ao estudo da composição, Frederico de Freitas desenvolveu também o gosto pela direcção de orquestra, o que o levou a estudar com os maestros Vittorio Gui e Willem Mengelberg.
Foi um compositor prolífico, tendo-se inspirado nas mais variadas vertentes da música. No domínio da composição, Frederico de Freitas deixou uma vasta obra que abarca praticamente todos os géneros musicais, incluindo a música para revistas, vaudevilles e operetas e para cinema.
Foi autor de estudos de musicologia, professor de música, director de orquestra, foi o sócio fundador n.º 11, em 1925, da cooperativa anónima de responsabilidade limitada SECTP, a Sociedade de Escritores e Compositores Teatrais Portugueses, a qual só em 1970, com a revisão dos estatutos, passou a chamar-se SPA, a actual Sociedade Portuguesa de Autores, dado abranger todas as áreas da criação intelectual.
Era, à data do seu falecimento, Presidente de Honra da SPA, a qual, em 1981, atribuiu ao seu auditório, inaugurado em 1975, o nome de Auditório Maestro Frederico de Freitas.
Foi ainda criador, em 1940, da Sociedade Coral de Lisboa, com a qual, durante 9 anos e em parceria com a Orquestra da Emissora Nacional, realizou múltiplas apresentações de obras corais sinfónicas da maior importância.
É autor das partituras para os filmes "A Severa" , de 1930, e "As pupilas do sr. reitor", de 1935, de Leitão de Barros, um dos mais populares de sempre do cinema português. Foi um dos fundadores e colaborou, como compositor e maestro, em diversas produções da Companhia Portuguesa de Bailado Verde Gaio.
Colaborou na revista ilustrada Cine, publicada em Maio de 1931.
O espólio do compositor Frederico de Freitas foi doado à Universidade de Aveiro pela filha do compositor, Elvira de Freitas.