domingo, 27 de dezembro de 2015

A 27 de Dezembro de 1901 - Nasceu Marlene Dietrich



Marlene Dietrich, nome artístico de Marie Magdelene Dietrich von Losch, nasceu em Berlin-Schöneberg/Prússia, em 27 de dezembro de 1901 e morreu em Paris/França a 6 de maio de 1992.
Marlene Dietrich nasceu em 27 de dezembro de 1901 em Schöneberg, um distrito de Berlim, Alemanha (então Prússia). Ela era a mais nova das duas filhas (a irmã Elisabeth era um ano mais velha) de Louis Erich Otto Dietrich e Wilhelmina Elisabeth Josephine Dietrich. A mãe de Dietrich era de uma família abastada de Berlim que tinha uma fábrica de relógios e seu pai era um tenente da polícia.
O seu pai morreu em 1911. O seu melhor amigo, Eduard von Losch, um aristocrata primeiro tenente dos Granadeiros cortejou Wilhelmina e mais tarde, em 1916, casou-se com ela, mas morreu logo depois, como resultado de ferimentos sofridos durante a Primeira Guerra Mundial. Os seus parentes fugiram da guerra para o Sul do Brasil.
Marlene Dietrich fez escola de artes cénicas e participou de filmes mudos até 1930. Em 1921, casou-se com um ajudante de diretor chamado Rudolf Sieber e teve uma única filha, Maria, nascida em 1924.
Estreou-se no teatro aos vinte e três anos de idade, fazendo cinco anos de carreira apagada até ser descoberta pelo director austríaco Josef von Sternberg, que a convidou para o filme Der Blaue Engel (1930), lançado no Brasil como “O Anjo Azul”, baseado no romance de Heinrich Mann, Professor Unrat.
Foi o primeiro dos sete filmes nos quais Marlene Dietrich e o director Josef von Sternberg trabalharam juntos. Os demais foram “Marrocos” (1930), “Desonrada” (1931), “O Expresso de Xangai” (1932), “A Vénus Loira” (1932), “A Imperatriz Galante” (1934) e “Mulher Satânica” (1935).
Depois de trabalhar com von Sternberg, Marlene foi para Hollywood, onde trabalhou em filmes mais profundos e mais marcantes.
Foi convidada por Hitler para protagonizar filmes pró-nazis, mas recusou o convite e tornou-se cidadã americana, facto que Hitler considerou como um desrespeito, apelidando Dietrich de traidora.
Em 1961, Marlene protagonizou um filme que quebraria barreiras e chocaria o mundo com um assunto que ainda assustava. O filme era o “Julgamento em Nuremberg”, que tratava do holocausto, do nazismo e do julgamento que condenou os lideres nazis.
Marlene visitou inúmeros países, porém só voltou ao seu país, a Alemanha, em 1962 e o seu regresso não agradou a todos, pois os nazis remanescentes chamaram-lhe traidora em pleno aeroporto!
Em 1978, Marlene protagonizou seu último filme, “Apenas um Gigolô”, onde contracenou com David Bowie.
Porém, entretanto, teve várias participações na rádio e em programas de televisão.
Finalmente, refugiou-se no seu apartamento em Paris, onde morreu aos noventa anos de idade, de causas naturais.
Encontra-se sepultada em Berlin-Schöneberg (Friedhof Schöneberg III), Friedenau, em Berlim, na Alemanha.