terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Portugal e os Bancos.

A mostrar
A mostrar
A mostrar


Há aquele jogo em que um grupo de pessoas anda à volta de um grupo de bancos e estes vão sendo retirados um de cada vez até sobrar apenas um. Pelo meio muita gente vai caindo de cu no chão na tentativa de ficar sentado.

Hoje foi retirado mais um e mais um grupo de pessoas caiu de cu. Tunga!

Banif está preparado para fechar.










In "No Vazio da Onda"




Poderá isto continuar assim ?




Aparentemente, a lógica de que os bancos têm que ser salvos pelos contribuintes vai continuar a drenar os recursos públicos, que se diz serem insuficientes para responder às mais candentes necessidades sociais.

O Estado está falido para tudo menos para financiar bancos. Os bancos não querem nada com o Estado – nem impostos sobre lucros e operações financeiras, nem regulação – menos quanto se trata de lhe passarem os prejuízos.

Se for inevitável que o Estado não deixe falir os bancos – o que muita gente credenciada se tem recusado a admitir – então mais vale que fique com eles e os administre bem, porque o negócio financeiro dá lucros quando entregue a outra gente que não a que tem sido dona disto tudo.




António Hespanha