sábado, 13 de fevereiro de 2016

A 13 de Fevereiro de 1946 - Nasceu Artur Jorge



Artur Jorge Braga de Melo Teixeira nasceu a 13 de Fevereiro de 1946, no Porto.
Desde tenra idade que mostrou talento para o desporto. Com apenas 14 anos fundou um clube de futebol, o Centro Académico Futebol Clube.
Pouco depois extinguiu o clube que fundara e dedicou-se ao Clube Académico do Porto.
Aos 16 anos, foi eleito vogal da direcção – curiosamente José Maria Pedroto (então treinador do FC Porto) era o presidente do Conselho Fiscal.
Ingressou nos juvenis do FC Porto. Nas Antas trilhou o caminho normal de qualquer aspirante a futebolista profissional.
Em 1964/65, com Otto Glória como técnico, integrou o plantel sénior dos azuis e brancos.
Azarado, sofreu uma lesão que o afastou da equipa titular. No final dessa época solicitou transferir-se para a Académica de Coimbra de forma a conciliar o futebol com os estudos.
Nos estudantes “pegou de estaca”. Catorze golos na primeira época, 25 na segunda, 28 na terceira, cinco na quarta. E transferiu-se para o Benfica.
A primeira época na Luz não foi fácil. O serviço militar e o facto do plantel dos encarnados ser uma verdadeira constelação de estrelas limitaram-lhe o sucesso. No ano seguinte (em 1970/71) tudo mudou. Artur Jorge foi o melhor marcador do campeonato (23 golos) e sagrou-se campeão nacional.
Na época seguinte, o mesmo cenário. Na segunda metade da temporada de 1972/73, o infortúnio bateu-lhe à porta. Foi operado cinco vezes ao joelho. Em 1974/75 ingressou no Belenenses.
No Restelo voltou a jogar – teve ainda uma curta incursão pela equipa norte-americana do Rochester Lancers –, regressou à selecção (16 internacionalizações) até que um dia fracturou uma perna num treino, no Estádio Nacional. E acabou a carreira.
Como futebolista conquistou quatro campeonatos nacionais e duas taças de Portugal.
Foi 16 vezes internacional.
Artur Jorge foi um dos obreiros da fundação do SJPF. A constituição do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol reporta-se a 23 de Fevereiro de 1972, em pleno regime fascista.
A primeira comissão directiva era composta por Artur Jorge, Eusébio, António Simões, Fernando Peres, Rolando, Manuel Pedro Gomes e João Barnabé, entre outros. Foi o primeiro presidente da direcção do SJPF.
Após a carreira de jogador, Artur Jorge decidiu tornar-se treinador.
Passou por 18 equipas e três selecções (Portugal, Suíça e Camarões).
Começou pelo Belenenses e Portimonense e alcançou a glória no FC Porto.
No clube presidido por Pinto da Costa venceu a Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 1987, frente ao Bayern de Munique.
Foi o primeiro treinador português a fazê-lo. Após este triunfo inesquecível seguiu-se a o estrangeiro.
Foi para Paris, treinar o Matra. Voltaria ao FC Porto e a Paris (agora para o PSG).
A convite de Manuel Damásio, em 1994 aceitou treinar o Benfica. A partir daí a sua carreira entrou numa fase descendente apesar de ainda ter sido convidado a orientar a Suíça na fase final do Europeu de 1996.
O seu último clube como treinador foi o Créteil, uma equipa das divisões secundárias de França, em 2006/07. Desde então deixou o futebol e diz fazer coisas que antes não fazia. “Estar com a família, estar em casa, ler livros, ir ao cinema, ter tempo livre.”