quarta-feira, 8 de julho de 2015

A 8 de Julho de 1965 - Nasceu João Afonso



Nascido em Moçambique, em 1965, João Afonso é um dos principais cantautores Portugueses da atualidade.
A sua vasta discografia iniciou-se com ‘Maio Maduro Maio’ (1994), em parceria com José Mário Branco e Amélia Muge, que justificou o prémio ‘José Afonso’.
Posteriormente, ‘Missangas’ (1997), o seu primeiro álbum a solo, fez jus ao título de Melhor Voz Masculina Nacional, que lhe foi atribuído pelo jornal Blitz e eternizou os temas de grande sucesso “Um Carteiro em Bicicleta” e “Na Machamba”
Segue-se ‘Barco Voador’ (1999), ‘Zanzibar’ (2002) e ‘Outra Vida’ (2006), neste último, já com a direção musical e arranjos de João Lucas. Desta parceria, o cantor e o pianista estruturaram ‘Um Redondo Vocábulo’ (2009), recentemente lançado, apenas com canções de Zeca Afonso.
Tem ainda colaborado com diversos artistas como Júlio Pereira, Luís Pastor, Uxía, Grupo Mestisay, Filipa Pais e Quinta do Bill, entre outros, em gravações e espetáculos ao vivo, em Portugal e Espanha.
Em 2014 sai “Sangue Bom” um trabalho produzido por Vitor Milhanas com músicas de João Afonso sobre poemas de Mia Couto e José Eduardo Agualusa. Disco que conta com inúmeras colaborações nomeadamente de Stewart Sukuma e Costa Neto de Moçambique, Aline Frazão e Mario Rui de Angola , Quiné Teles, António Pinto, Miguel Fevereiro, João Lucas (Portugal) , Fred Martins ,do Brasil , Kepa Junkera , do País Basco e Anxo Pintos da Galiza entre muitos outros nomes .
No fim do ano de 2014 João Afonso reedita digitalmente “Sangue Bom” com 4 temas inéditos.
Quatro canções totalmente inéditas foram acrescentadas a “Sangue Bom”. Tal como nos temas anteriores, estas novas canções têm produção musical e arranjos de Vitor Milhanas, excepto “Cacimbo” com arranjos de João Lucas, e a participação especial de Kepa Junkera, com a sua triki(tina) e txalaparta em “Um dia irei”; Manuel Maio nos violinos e Moisés Fernandes no flueghel. “Silvestre“ é enriquecida com a guitarra elétrica de José Moz Carrapa e com o udu de António Pedro. A canção de “Ó Mano” conta ainda com o cavaquinho e bandolim de Edu Miranda e o trombone de Paulo Fragoso. António Pinto no dobro, Miguel Fevereiro na guitarra , a voz de António Afonso, a percussão e bateria de Quiné Teles e Vitor Milhanas no baixo , sintetizador e programações rítmicas completam as participações deste novo naipe de canções.
Encontre estes quatro novos temas – “Um dia irei”, “Cacimbo”, letras de José Eduardo Agualusa, e “Silvestre”, “Ò Mano”, a partir de poemas de Mia Couto.